chile

Roteiro de 4 dias no Deserto do Atacama

nov 30, 2016 Adriana Magalhães
Conte pros seus amigos
Share

Primeiro de tudo: abra o espírito e o coração para adentrar no Deserto do Atacama. Você vai estar no meio de paisagens lunáticas, imensidão incrível, lugares que parecem ter sido pintados a mão. Tudo no Atacama é grande, é majestoso, é impossível traduzir em palavras. Dito isso, prepare-se também para pegar dias quentes e noites e madrugadas GELADAS. Prepare-se para a secura que faz sangrar nariz. Prepare-se para muita, muita poeira. Assim, com o espírito preparado, vá curtir a imensidão do deserto e suas milhares de estrelas. E aproveite bem esse roteiro de 4 dias no Deserto do Atacama.

San Pedro do AtacamaSan Pedro do Atacama fica a 100 km de Calama, a cidade com o aeroporto mais próximo. San Pedro é uma cidade super agradável, típica de deserto, com vários barzinhos descolados e lojinhas muito interessantes. Prepare-se para curtir toda a noite na cidade. Lá tem muitas opções de hotéis, eu fiquei no Altiplánico, que recomendo muito, um hotel com arquitetura que respeita o local, tudo muito rústico e sofisticado, feito de adobe. Eu coloco o Altiplanico entre os melhores hotéis em que já me hospedei. 

Aqui você pode pesquisar hotéis para todos os gostos e bolsos em San Pedro do Atacama.

A maioria dos roteiros aqui foram percorridos com agências de turismo, já que dirigir no deserto exige muito do viajante (carro adequado, bom sistema de localização, etc). Veja aqui os contatos das agências de turismo de San Pedro de Atacama.

 

Roteiro no Atacama – dia 1 – Toconao, Lagunas Altiplánicas e Salar de Atacama

Esse passeio dura o dia inteiro e a van te busca bem cedo no hotel. Mesmo que não seja inverno, leve roupas que aguentem bastante frio, as lagunas altiplânicas são geladas e o vento e inacreditável!!! Leve também uma muda de roupa e protetor solar, pois de tarde vai esquentar.

Toconao

Você sai cedinho do hotel e começa a ver as belíssimas paisagens do Deserto do Atacama. Bem cedo, a van para na vila de Toconao (a 38km de San Pedro), uma cidade perdida no nada, com menos de mil habitantes. É interessante observar a arquitetura do local e a população atacamenha, além de uma torre branca construída em 1750. Depois, seguimos caminho em direção às Lagunas Altiplânicas.  

 

Toconao - Atacama - Torre Branca

Lagunas Altiplânicas

As lagunas parecem ter sido pintadas por um artista no meio do deserto. Suas cores se confundem com as da terra e do céu. Uma coisa indescritível. Nelas também se observam flamencos, zorros e vicunhas. Subimos a mais de 4.200m de altitude para chegar às lagunas Miscanti e Miñiquez.
Deserto do Atacama

Atacama - Lagunas Altiplânicas

É sal mesmo! Deserto do Atacama

Salar de Atacama

Damos meia volta e seguimos em direção ao Salar de Atacama, que tem uma extensão de 100 kilómetros de largura por 80 km de comprimento. O carro para num ponto turístico no meio do Salar, com museu e banheiros, de onde se acessa a Laguna Chaxa e seus flamingos. Essa hora da tarde, já é bom carregar no filtro solar e beber litros de água.

Salar de Atacama

Eu e Bruno no Salar de Atacama

 

dia 2 – Geysers del Tatio e Machuca

No segundo dia do roteiro do deserto do Atacama, chega a hora do passeio aos Geysers del Tatio. Você tem que se preparar. Use a roupa mais quente que tiver. Leve meias, luvas, gorros e cachecóis. O amanhecer nos Geysers chega a 10 graus negativos fácil. Os Geysers del Tatio ficam a apenas 90 km de San Pedro, mas vamos numa estrada tão sacolejante que o percurso acaba demorando 2 horas.

A van te pega no seu hotel às 4h30 da manhã. Você vai sacolejar pelo deserto durante umas duas horas e subir a 4.320m. Você chega aos geysers ao amanhecer e a visão da fumaça saindo do chão com a claridade do sol nascendo é indescritível. Você caminha ao lado dos jorros de água que chegam a 85ºc, então, tenha cuidado extremo para não escorregar (já houve alguns acidentes fatais ali).

Geysers del Tatio - Deserto do Atacama Geysers del Tatio - Deserto do Atacama

Você passa algumas horas só caminhando, tirando fotos, observando. O café da manhã cada excursão toma lá mesmo, e o legal é que os guias geralmente cozinham ovos com as águas dos geysers. Veja aqui um vídeo da loucura que são os Geysers del Tatio.


Geysers del Tatio - piscinas térmicasLá pras 9h da manhã, quando o sol já esquentou os turistas que estavam congelando, as vans te levam a umas piscinas térmicas bem perto dos Geysers del Tatio. O local conta com uns trocadores básicos, onde você veste sua roupa de banho, num frio de zero grau, e cai na piscina térmica. É uma delícia, impossível perder, apesar do frio inevitável.

Voltamos para a van em direção a San Pedro do Atacama. No caminho, vicunhas, zorros, lhamas. Paramos no povoado de Machuca, no meio do caminho. Igreja típica, casas de adobe atacamenhas, uma feirinha de produtos artesanais, onde se pode comer churrasquinho de lhama.

Comendo churrasquinho de llama no Deserto do Atacama

 

dia 3 – Pedalando na Pukara de Quitor / Vale da Lua e da Morte

Pukara de Quitor

Pukara de Quitor, Deserto do AtacamaChegamos ao terceiro dia do roteiro no Deserto do Atacama. O centro de San Pedro de Atacama tem muitas lojinhas de aluguel de bicicletas. Escolha uma bike e saia cedo para pedalar no seu terceiro dia. Siga em direção à Pukara de Quitor, que fica só a 3km de distância. É uma vila construída pelos atacamenhos no século 12, no meio das pedras, para proteger sua terra dos invasores. Tinha que ser alto, e realmente é. A vista livre é maravilhosa!!!

Mas isso infelizmente não impediu que os espanhóis invadissem a terra dos atacamenhos em 1540. Pukara de Quitor é um monumento nacional do Chile. Você deixa a bicicleta na entrada e sobe, sobe, sobe, a pé num sol inclemente. Mas a vista vale à pena.

 

Pedalando no deserto do Atacama - Pukara de Quitor

 

Quebrada del Diablo – Deserto do Atacama

Depois, pegue a bicicleta a rume para a Quebrada do Diabo, um labirinto de canyons onde podemos pedalar e nos perder facilmente kkkk. É uma série de curvas apertadas, com visual incrível, parecendo que estamos pedalando na lua. O ideal é percorrer esse labirinto com alguém que conheça. Veja o vídeo desse pedal abaixo.

Pedalando na Quebrada do Diabo - Deserto do Atacama

Vale da Lua e Vale da Morte – Deserto do Atacama

Volte para San Pedro para almoçar e descansar. No fim da tarde, faça o passeio para o Vale da Lua e Vale da Morte. No Vale da Morte, percorremos canyons, numa paisagem em que é impossível não ficar de queixo caído. Muito vento, muitos cortes nas montanhas provocados pela erosão.

Vale da Lua, Deserto do Atacama

O final da tarde é dedicado ao Vale da Lua, que realmente parece a lua. Você vai passar por cavernas de sal  e outras paisagens cinematográficas. No por-do-sol, sobe-se a uma montanha para admirar o espetáculo do crepúsculo com todas as cores do deserto. I-NES-QUE-CÍ-VEL! 

Prepara-se para o frio quando a noite está caindo…Por-do-sol no Vale da Lua, Deserto do Atacama

Por-do-sol no Deserto do Atacama

 

dia 4 – Laguna Cejar

Laguna Cejar - Deserto do Atacama

Laguna Cejar - Deserto do AtacamaPara fazer esse passeio, você pode contratar uma excursão na vila ou ir de bike, já que a Laguna Cejar fica a apenas 18 km de San Pedro do Atacama, numa estrada relativamente plana. Lembre-se que você estará pedalando no deserto e com muita poeira. Também tem excursões de pedalada, assim um carro de apoio acompanha os ciclistas, para ajudar caso ocorra algo fora do previsto. O importante é saber o seguinte: leve roupa de banho, chinelo (o piso da lagoa machuca o pé) e toalha. Leve um galão de água doce, afinal você vai nadar num dos lagos mais salgados do mundo, e vai querer tirar o sal do corpo depois.

Geralmente o passeio é feito no final da tarde. Chegar às lagunas no meio do deserto é indescritível. Águas limpíssimas e geladas. Você simplesmente não consegue mergulhar.

Veja aqui um vídeo da Laguna Cejar.

 

No final, você não consegue ficar muito tempo na água por causa da temperatura, e, quando o sol desce, o deserto começa a esfriar repentinamente. É hora de se lavar com a água doce que você trouxe, e fazer uma barraquinha com sua toalha para se trocar (não tem trocadores perto da lagoa).

Se você for de excursão, você ainda vai conhecer outras maravilhas, como os Ojos del Salar, buracos perfeitos de água no meio do deserto. Ao final, um brinde ao belíssimo por-do-sol com um pisco delicioso, em frente a outra lagoa. É uma bela despedida do deserto.

Um lugar que eu não conheci mas está guardado para uma próxima vez é o Salar de Uyuni, que a Angie do Apure Guria conheceu e conta aqui.

Dando pulos de alegria no deserto do Atacama

Veja também


 

Você gosta do nosso blog? Então lembre-se de clicar nesses banners quando precisar reservar hotel ou alugar carro. Não custa nada pra você é para o blog já é uma grande ajuda!

Booking.com

banner-horizontal-ebook-7passos

Conte pros seus amigos
Share