chile

Ilha de Páscoa: uma “plantação” de Moais

ago 06, 2012 Adriana Magalhães
Conte pros seus amigos
Share

No post anteriorLéo e os moais da Ilha de Páscoa eu falei que meus olhos lacrimejaram quando vi a “plantação” de Moais na Ilha de Páscoa.
Saíndo do vulcão Ranu Kau, começamos a busca pelos Moais. Vimos no mapa que tinha vários sítios com moais num dos lados do triângulo, virados para o mar (a ilha de páscoa é um triângulo). Seguimos para o litoral e fomos procurando. Achamos alguns derrubados no chão, outros pequenos em outras praias, mas nada majestoso como constava de minha imaginação. E fomos seguindo.

De repente, uma montanha chama a nossa atenção. Havia algumas pedras salpicando os vales verdes da montanha em frente ao mar. Ao chegarmos mais perto, vimos que não eram simples pedras, mas centenas de moais enterrados na montanha. Uma visão indescritível. Além disso, o verde da grama contrastava com o azul do céu. Que coração aguentaria? O meu não aguentou.

Rano Raraku

Isso é Rano Raraku, onde os moais eram construídos e onde existem ainda nada menos que 397 moais ainda enterrados na montanha, como se tivessem sido esquecidos pelos escultores. Alguns estão caídos, outros em pé, outros ainda sendo escavados nas pedras. Uma visão de outro mundo. Quer mais motivo para essa minha cara feliz?
Só felicidade ao encontrar os moais de Rano Raraku, Ilha de Páscoa
Gente, nem fotos, nem palavras vão poder descrever a magia do lugar. So sorry. Eu não sou poeta.
Mas ainda não acabou. Andando até o fim da trilha, tem-se a visão de uma das plataformas de moais mais impressionantes da ilha, Ahu Tongariki, com 15 moais colossais bem em frente às águas azuis do pacífico. Deixamos pra visitar essa maravilha no dia seguinte.

Os moais de Ahu Tongariki, Ilha de Páscoa

Os moais da Ilha de Páscoa
O centro de visitantes de Ranu Raraku tem espaço para piquenique, mas sem venda de comida, banheiro pago ( U$ 1), e é um dos lugares onde o visitante que não pagou deve pagar o parque nacional. Voltando ao estacionamento, pegamos o caminho para a cratera. Subindo uma pequena elevação, encontramos outra esplêndida cratera de outro vulcão, com vários moais esquecidos (não terminados) nas bordas. Que coisa maravilhosa!

Comendo na Ilha de Páscoa

Depois de tanta emoção, a barriga abriu um buraco. Seguindo a indicação da dona da pousada, fomos comer na vila de Hanga Roa, num restaurante em frente ao mar, um pouco afastado, o Tataku Vave. Que delícia! Suco de manga delicioso pros pequenos, macarrão pra eles também, e pra nós um ceviche indescritível, com camote, espécie de batata doce frita que é simplesmente divino. Eu amei. E recomendo muito. Tudo muito simples, como é a cara da Ilha.

Ceviche e camote, comida típica e deliciosa da Ilha de Páscoa

Ilha de Páscoa: moais

Leia aqui o início de nossa aventura na Ilha de Páscoa
Leia aqui sobre grutas, praias e moais na Ilha de Páscoa

 

Conte pros seus amigos
Share